Buraco negro come milhões de sóis

Astrônomos estão descobrindo a maior erupção do universo até agora

Erupção provocada por um buraco negro © NASA / CXC / A.Hobart
ler em voz alta

Os astrônomos descobriram a maior erupção do universo usando o telescópio de raios X Chandra. Causa desta erupção: Um buraco negro supermassivo que se expande a uma velocidade vertiginosa e tem um apetite tremendo. Já engoliu as massas de várias centenas de milhões de sóis.

A erupção foi descoberta em uma micrografia Chandra de gás quente de raios X no aglomerado de galáxias MS 0735.6 + 7421. A erupção, que durou mais de 100 milhões de anos, gerou tanta energia quanto cem milhões de explosões de raios gama combinadas. O evento foi desencadeado pela liberação de energia gravitacional quando enormes quantidades de matéria caíram no buraco negro no centro do aglomerado. A maior parte do material foi engolida, mas uma pequena porção foi jogada fora antes que finalmente desaparecesse no abismo do buraco negro.

"Fiquei surpreso ao descobrir que uma massa de cerca de 300 milhões de sóis foi engolida", explica Brian McNamara, da Universidade de Ohio, em Atenas. “É tão grande quanto outro buraco negro.” McNamara é o principal autor do estudo, agora publicado na edição atual da revista Nature.

Os astrônomos não têm certeza de onde vêm essas quantidades grandes de matéria. De acordo com uma teoria, o gás da galáxia hospedeira esfriou dramaticamente rapidamente e foi engolido pelo buraco negro. A energia liberada mostra que o buraco negro aumentou dramaticamente durante a erupção. Essa descoberta contradiz suposições anteriores, que supunham que os buracos negros no passado recente tenham crescido pouco e que apenas pequenas cópias cresçam rapidamente.

"Este novo resultado é tão empolgante quanto emocionante", disse Paul Nulsen, do Centro de Astrofísica Harvard-Smithsonian, em Cambridge, EUA. "Este buraco negro destrói um banquete, se for rápido."

O rápido crescimento de buracos negros supermassivos é geralmente observado pela observação da forte radiação óptica e de raios X do centro de suas galáxias hospedeiras ou por fontes de raios emissores de rádio. Mas no MS 0735 não havia radiação central brilhante e os jatos de rádio eram apenas fracamente visíveis. A verdadeira natureza do buraco negro foi revelada apenas pela observação dos raios X do gás quente no aglomerado de galáxias.

"Até agora, não tínhamos ideia de que esse buraco negro estava se alimentando tão bem", explica Michael Wise, do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), em Cambridge. "A descoberta dessa erupção mostra que os telescópios de raios X são necessários para entender alguns dos eventos mais poderosos do universo".

(NASA / Marshall Space Flight Center, 01.01.2005 - NPO)